O Alvo

27/11/2007

Surpresa pra vc!

Sei que vc vai visitar meu espaço, meu cantinho. Então quero que seja bem-vinda e que goste dos textos que são meus. Este post é especial para vc que veio conhecer meu blog.

Beijo grande!

Thaissa Costa


Escrito por Thaissa Costa às 23h51
[] [envie esta mensagem] []


05/11/2007

CRÔNICA DE AMOR


Conforme diria Roberto Freire... Ame e dê Vexame! 

Você ama aquela petulante! Você escreveu dúzias de cartas que ela não respondeu. Você deu flores que ela deixou a seco. Você levou para conhecer a sua mãe e ela foi de blusa transparente.

Você gosta de rock e ela de chorinho, você gosta de praia e ela tem alergia a sol, você abomina o Natal e ela detesta o Ano Novo, nem no ódio vocês combinam. Então?

Então que ela tem um jeito de sorrir que o deixa imobilizado, o beijo dela é mais viciante do que LSD, você adora brigar com ela e ela adora implicar com você . Isso tem nome.

Você ama aquele cafajeste. Ele diz que vai ligar e não liga, ele veste o primeiro trapo que encontra no armário, ele escuta Egberto Gismonti e Sivuca. Ele não emplaca uma semana nos empregos, esta sempre duro, e é meio galinha.

Ele não tem a menor vocacão para príncipe encantado, e ainda assim você não consegue despachá -lo. Quando a mão dele toca na sua nuca, você derrete feito manteiga. Ele toca gaita de boca, adora animais e escreve poemas. Por que você ama este cara ? Não pergunte pra mim.

Você é inteligente. Lê livros, revistas, jornais. Gosta dos filmes de Woody Allen, dos irmãos Coen e do Robert Altman, mas sabe que uma boa comédia romântica também tem o seu valor. É bonita. Seu cabelo nasceu para ser sacudido num comercial de xampu e seu corpo tem todas as curvas no lugar.

Independente, emprego fixo, bom saldo no banco. Gosta de viajar, de música, tem loucura por computador e seu fettuccine ao pesto é imbatível.

Você tem bom humor, não pega no pé de ninguém e adora sexo. Com um currículo desses, criatura, por que diabo está sem um amor?

Ah, o amor, essa raposa. Quem dera o amor não fosse um sentimento, mas uma equação o matemática: eu linda + você inteligente = dois apaixonados.

Não funciona assim. Ninguém ama outra pessoa pelas qualidades que ela tem. Caso contrário os honestos, simpáticos e não-fumantes teriam uma fila de pretendentes batendo a porta. O amor não é chegado a fazer contas, não obedece a razão.

O verdadeiro amor acontece por empatia, por magnetismo, por conjunção estelar. Costuma ser despertado mais pelas flechas do cupido que por uma ficha limpa. Ninguém ama outra pessoa porque ela é educada, veste-se bem e é fã do Caetano. Isso são só referências. Ama-se pelo cheiro, pelo mistério, pela paz que o outro lhe dá , ou pelo tormento que provoca.

Ama-se pelo tom de voz, pela maneira que os olhos piscam, pela fragilidade que se revela quando menos se espera. Amar não requer conhecimento prévio nem consulta ao SPC. Ama-se justamente pelo que o amor tem de indefinível.

Honestos existem aos milhares, generosos tem as pencas, bons motoristas e bons pais de família, mas mesmo assim, ninguém consegue ser do jeito que o amor da sua vida.

Isto é o amor...

*Texto lindo que não sei o autor.

Thaissa Costa


Escrito por Thaissa Costa às 08h39
[] [envie esta mensagem] []


29/10/2007

Quem avisa amigo é...

O pior do espero é achar que todo mundo é otário. Essa frase encaixa direitinho com o que estão pensando de mim. Sempre falo e ninguém escuta. Não confundam o fato de eu ser boa com o de ser boba. Tem gente achando que minha vida é novela e pior, aquelas interativas da internet. Bem, aí vai o aviso pro otário de plantão que acha que eu tô aqui bem quietinha vendo tudo de forma alheia, minha vida não é novela, se gosta de mim, chega e fala, se não gosta, vai viver sua vida que é o melhor que você faz, mas uma pessoa que perde tempo ligando para os outros em pleno sábado a noite não tem mais o que fazer. Eu fico realmente lisongeada por tamanha dedicação. Sei que meu brilho atrai, mas acho que você deveria procurar coisa melhor para fazer, da mesma forma que eu estava fazendo. E acho que vc, querido otário, não sabe que a verdade é sempre a verdade. Que não adianta tentar mascarar a verdade, porque um dia ela aparece. Então, de boa...quem avisa amigo é...Some, porque senão entro na sua vida como um trator e saio destruindo tudo. Não porque você mereça, mas porque eu dou um boi para não entrar em uma briga, mas o restante da boiada para não sair. Querido otário, não atice uma escorpiana. Nós não picamos do nada, mas nos defendemos e se não pode com o veneno, nem chegue perto. Quem avisa amigo é...

Thaissa Costa

*Esse querido otário é querida e sabe muito bem que eu sei quem é e que estou direcionando esse post. Aproveite querido otário e mostre para sua "amiguinha".


Escrito por Thaissa Costa às 08h11
[] [envie esta mensagem] []


25/10/2007

Dicas de Etiqueta

Dicas da Glorinha Kalil - Etiqueta na Hora do Sexo (( NÃO RIA, O NEGÓCIO É SÉRIO!!))
  
Para as Mulheres:
 
 © Nunca, em hipótese nenhuma, use calcinha furada.
 
 © No dia em que você sair com aquela calcinha mais fuleira, pode ter certeza que vai ser o dia que você vai tirar o pé da lama.
 
 © Não faça performances que você não sabe. Tentar coisas novas é bom, mas transar em cima do lustre nem é legal.
 
 © Depile-se. Se vira... Anda com gilete na bolsa... Fique melhor amiga da depiladora... Mas mantenha as partes em ordem.
 
 © Não fale : 'tira a mão daí'. Se você está na chuva, se molhe.
 
 © Homem não gosta de transar de luz apagada.
 
 © O cara quer virar e dormir? Qual o problema? Vire e durma primeiro que você vai ver só a repercussão que isso causa na mente alheia.
 
 © Cuidado. Gemer é uma coisa. Mugir, latir  é outra.
 
 
Para os Homens:
 
 © Se já inventaram o gel lubrificante , use-o. Nada de tentar comer a bundinha da sua namorada à seco ou com os derivados do leite... Como por exemplo: requeijão, yogurt, sorvete, Leite de Aveia Davene, ou qualquer outra coisa. Tem KY pra vender na farmácia do lado da tua casa.
 
 © Porque os homens sempre coçam o saco? Parem de coçar e lavem ele. Saco fedido é o 'ó'.
 
 © Não transe de relógio. Não é nada legal tomar uma relojada na cabeça.
 
 © Os psicólogos sempre dizem que nós somos aquilo que nós acreditamos ser.
 Se você tem um pinto pequeno... Você pode achar que ele é grande...
 Se você acredita nisso, problema é seu. Não tente me convencer disso, porque é inútil.
 
 © Uma palmadinha é sempre bom. Porém, tenha noção das paradas. Um tapinha é diferente de uma pancadaria.
 
 © Acúmulo de ar na perereca é normal. Sem critério é dizer: 'Amor,  sua pepeca está peidando'.
 
 © Tome cuidado com o que vai falar e a hora que isso é dito. Um clima de amor, remember .... Eu te amo pra lá... Eu te amo pra cá... E de repente, do nada: 'Chupa meu pau!' Não é legal.
 
 © Peidou? Ria... Porque vai feder de qualquer jeito!

Escrito por Thaissa Costa às 10h12
[] [envie esta mensagem] []


23/10/2007

Piada

Li no Blog Sorrisos Plásticos, da Thais e achei tão legal que resolvi postar aqui também, principalmente porque andei um pouco sumida daqui e estou refazendo meu cantinho. Estou novamente no Alvo.

A Lenda do Capitão Nascimento / Bope

Um dia quiseram ver quem era o melhor: McGyver, Jack Bauer ou Cap. Nascimento.
.
Chegaram pro McGyver e falaram: A gente soltou um coelho nessa floresta. Encontre mais rápido que os outros e você será considerado o melhor!
.
McGyver pegou uma moeda de 5 centavos no chão, um graveto e uma pedra e entrou na floresta. Demorou 2 dias pra construir um detector de coelhos em floresta e voltou no terceiro dia com o coelho.
.
Daí chegaram pro Jack Bauer e falaram a mesma coisa.
.
Ele entrou correndo na floresta e 24 horas depois apareceu com o coelho. Pediu desculpas porque teve que desarmar 5 bombas nucleares, recuperar 15 armas químicas, escapar de um navio cargueiro que ia pra china e matar 100 terroristas pra chegar até ao coelho.
.
Daí pediram para o Cap. Nascimento ir buscar o coellho.
Se ele demorasse menos de 24 horas ele seria o melhor.
.
No que ele respondeu:- Tá de sacanagem comigo 05? Cê tá de sacanagem comigo? Você acha que eu tenho um dia inteiro pra perder com essa porra de brincadeira, 05? Tu eh mo-le-que! MO-LE-QUE 05!!!
.
Virou-se calmamente para a floresta e gritou:- Pede pra sair!!! Pede pra sair cambada!!!
.
Em menos de cinco segundos, já tinham saído da floresta: 300 coelhos, 20 jaguatiricas, 50 jacarés, 1000 paca-tatu-cotia-não, o Shrek e o monstro fumaça do Lost.
.
Daí ele gritou: - 02, tem gente com medinho de sair da floresta, 02?!
.
Então 07, traz a 12 pra eu fazer um servicinho aqui!
Nisso [reza a lenda] Bin Laden saiu da floresta correndo!!!

Escrito por Thaissa Costa às 07h36
[] [envie esta mensagem] []



Pesquisa Inglesa

Poligamia X Monogamia

A poligamia faz mal à saúde dos homens. É o que sugere um estudo desenvolvido por pesquisadores da Universidade de Cambridge, na Grã-Bretanha. Depois de investigar os padrões comportamentais de mais de 30 espécies, incluindo a humana, Tim Clutton-Brock e Kavita Isvaran chegaram à conclusão de que quanto mais poligâmica é uma espécie, mais rápido os machos envelhecem e morrem - na maioria das vezes antes das companheiras. A descoberta consta da última edição da "Proceedings of the Royal Society".

Segundo os cientistas, isso acontece em função da intensa competição sexual. Traçando um comparativo entre espécies monogâmicas (em que o macho tem uma única parceira) e poligâmicas (em que cada macho copula com várias fêmeas), eles constataram que a competição por fêmeas tende, naturalmente, a ser mais acirrada no segundo grupo. Ou seja: os machos que mantêm uma única parceira precisam se empenhar em menor grau para manter a "concorrência" afastada, enquanto os polígamos precisam se esforçar nas suas sucessivas conquistas sexuais.

Com a intensa competição por sexo, os machos têm menos tempo para procriar, explicam os pesquisadores. Desta forma, não há fortes incentivo para que desenvolvam uma longevidade, já que não há descendentes a proteger.

Poligamia na Idade da Pedra

O estudo britânico também sugere que "no momento em que a fisiologia humana se desenvolveu, talvez durante a Idade da Pedra, a procriação poligâmica fosse normal". Isso, segundo os pesquisadores, explicaria porque os homens envelhecem mais rápido e morrem antes do que as mulheres.

*Fonte O Globo Online.

Bem, o recado está dado!

Thaissa Costa

 


Escrito por Thaissa Costa às 07h30
[] [envie esta mensagem] []


22/10/2007

Síndrome de Flávia

Sabe aquelas pessoas que começam a falar e não param nunca mais? Que sempre tem uma opinião sobre qualquer assunto e ainda tem um caso para contar bem parecido com o seu? Aquelas, que falam alto, xingam a tia do vizinho para não xingar seu parente? Aquelas que em reunião de família ou dentro de uma sala de aula só se escuta sua voz? Pois é...meu amigo, se você conhece alguém assim...Pode estar certo que esta pessoa tem Síndrome de Flávia. Vou explicar melhor como cheguei a esse diagnóstico. Na verdade, tenho que contar, não cheguei sozinha, eu e o Leandro, que faz pós-graduação comigo, diagnosticamos nossas amigas de curso. As Flávias...a Anástácio e a Resende. Mas vamos começar do começo...Estava eu lembrando na sala, em meio a aula de Didática do Ensino Superior, com a famosa professora Yeda, que a Mayara, uma colega minha, que abafa, tem 15 anos, soltou que a ex-sogra dela tinha Síndrome do Ninho. Mais rápido que uma flecha, fui perguntar à Michelli, rainha dessas síndromes todas (ela sabe tudo de síndrome, doenças crônicas, psicopatas e remédios ---alguém, quer um Rivotril?). Ela disse que nunca ouviu falar, então contei a história ao leandro e a Flávia Anástácio, que eram os que estavam mais próximos da minha pessoa. Aí chegamos a conclusão que deve ser um apelido para uma possível Síndrome do Pânico ou até mesmo uma depressão, porque, segundo a Mayara, essa síndrome se caracteriza pelo fato da mãe ficar mal quando os filhos casam ou saem de casa. Pensando bem, acho que foi uma leve chantagem emocional, porque o moleque estava pensando em casar. O que é uma loucura sendo que a menina tem apenas 15 anos. Mas voltando a Síndrome de Flávia...eu e o Leandro, partindo dessa conversa, colocamos nossos cérebros super criativos para funcionar e descobrimos que as Flávias têm uma doença (calma isso não passa) e elas deram sorte porque escolheram a profissão correta. Afinal, todo jornalista fala pelos cotovelos. Mas até que não chama Flávia e fala como elas, sofrem do mal. Pior, isso não tem cura. Será que um Rivotril da Michelli ajudaria?

Thaissa Costa


Escrito por Thaissa Costa às 10h46
[] [envie esta mensagem] []


09/10/2007

Flávia Anastácio - happy birthday

Com um dia de atraso, fica aqui meu parabéns para a Flávia Anastácio. Amiga, você entrou em minha vida a pouco tempo, mas meu carinho por você é muito especial. Vale lembrar que este post só está atrasado, porque ontem a noite ao invés de escrever eu fui comemorar o seu níver com você. Foi tudo ótimo ontem e como jornalista tem dinheiro né...Que conta foi aquela?! rs A união faz a força messsmo. Bem, desejo a você toda a felicidade do mundo. Que você obtenha sucesso profissional e pessoal, que seja uma pessoa realmente em paz. E, principalmente, que seja essa pessoa incrível que você é, inteligente, bonita, engraçada, verdadeira, especialíssima. Te gosto muitão, vaca!

Thaissa Costa

 


Escrito por Thaissa Costa às 13h37
[] [envie esta mensagem] []


03/10/2007

I'm a journalist!

Estava na prova oral de inglês quando me veio a pergunta qual era minha profissão. Foi aí que me dei conta do orgulho que tenho em dizer que sou jornalista. Amo minha profissão. Amo o que faço. É muito bom pegar uma história crua e poder contar a milhares de pessoas. É bom colocar meu rostinho na tve poder contar um fato e saber que as pessoas acreditam em mim, pois passo credibilidade no que digo. Pela primeira vez, estou sendo produtora também, o que é um desafio. Ainda estou aprendendo, mas é fato passamos a vida toda aprendendo sobre tudo. E eu não canso de aprender, não canso mesmo. É emocionante aprender palavras, lidar com pessoas dos mais variados estilos, raças e crenças. Aprendo com cada entrevistado, mesmo que eu o entreviste várias vezes, como é o caso de prefeitos, secretários, governador e delegados. Amo até trabalhar em feriados e alguns finais de semana. Tudo bem, que meu namorado não deve gostar muito disso, mas fazer o que né... Acontece! Sei que muitas vezes deixo amigos e família em prol do trabalho, mas é minha profissão, minha vida. Sei poderia ser melhor remunerada, espero que um dia isso aconteça...Mas hoje só quero expressar meu amor ao jornalismo, pelas letras, pelas palavras, pelas pautas, pelas matérias, por esse universo que é único, que só quem tem o bichinho do jornalismo conhece e sente. Amo muito tudo isso! (Não querendo mas já plagiando o Mc) Thaissa Costa
Escrito por Thaissa Costa às 23h48
[] [envie esta mensagem] []


28/09/2007

Babados

Hoje é sexta-feira! Dia de Babado Novo em Resende, na Exapicor. Tudo bem, que não me cadastrei e perdi a oportunidade de ficar no camarote da imprensa, mas vou assim mesmo, rezando para não chover. Não porque irei de chapinha, porque minha escova francesa permite que eu veja água em qualquer ocasião (embora eu esteja fugindo do salão e precisando muito retocar a raiz, tanto na cor do cabelo quanto no alisamento - nada que me deixe feia), mas sim porque ninguém merece dançar axé com lama. O fato é que eu adoro Babado, adoro a Claudinha Leite e adoro as músicas. Sim, meus amigos, adoro axé. Nem adianta querer me sacanear, porque nem ligo. Gosto sim e até já fiz lambaeróbica, na época de adolescencia. Hoje em dia só sei passos antigos, o que me leva a crer que a idade realmente chega para todos.

Hoje não é só dia de Babado Novo! É dia também de babados velhos. De babados diversos. Porque é às sexta-feiras (Flávia isso tem crase?) que a galera se reune, fica sabendo as últimas da semana. Fato: mesmo se nos reuníssemos todos os dias teríamos assunto. E mais, teriam assunto da gente, porque o povo que gosta de falar da minha turma. Será que a gente causa tanto assim? Bem, como disse ontem, falem mal mas falem de mim. A Ju chegou a modificar a frase...Falem mal,mas não pra minha mãe. Bem, como até minha mãe já foi usada, deixo apenas a frase falem mal mas lembre-se de mim. Sinto-me lisonjeada. Afinal se incomodo é porque sou forte, porque tenho potencial.

Babados...gíria essa estranha né...Porque toda sexta tem alguém, as vezes nem te conhece direito, que vira para você e fala: Eiii, vem cá tenho que te contar um babado! Desde que me entendo por gente é assim. Da onde surgiu o termo? Alguém sabe me dizer? Se souberem me digam, por favor e aproveitem e procurem um psicólogo para me explicar a vontade enooorrrrmeeee de certas pessoas e divulgarem o tal babado. Nem eu que sou jornalista sinto tanta necessidade.

Mas vá lá...se o babado é novo, é velho, ancião ou Matuzalém não me importa, o que importa é que hoje vou curtir minha vida, dançar (espero que sem chuva) e beber minha deliciosa vodquinha. E se isso causar um babado...Deixe para falar na sexta que vem, por favor, porque hoje quero mais é me divertir.

Thaissa Costa

 


Escrito por Thaissa Costa às 14h08
[] [envie esta mensagem] []


16/09/2007

Quem é vivo sempre aparece

ÉEEEE quem é vivo sempre aparece mesmo. E como eu não morri ainda...rs Olha eu aqui. Confesso que não estava a blogar por motivos profissionais. Trabalhando tanto que nunca mais conseguir blogar. Na verdade, para minha mãe não me desmentir, eu ando trabalhando muito e curtindo muito também, porque ninguém é de ferro. Por isso, hoje estou blogando da casa da minha amiga loirinha (a Roberta) porque também nunca mais sai daqui. Porque a gente se diverte a bessa, porque temos um seriado próprio by Barra Mansa. Porque somos as mais novas amigas do pedaço. Aliás esse post querofalar sobre amizade. Amigos...realmente a família que Deus nos permite escolher. Sangue é apenas um mero detalhe quando falamos de sentimentos. Sentir...sinto as dores de todos meus amigos, não são muitos, confesso, porém verdadeiros, espero. Sinto as alegrias e vibro com todas as vitórias. Loira, sorte no novo empreendimento! Fico feliz ao saber que eles estão bem...Cris, parabéns pelo níver e seu cabelo está divino, a mais nova Priscila Fantin da galera!!! Márcinha, continue sempre cultivando a gentileza, amiga! Gosto de sorrir os risos dos meus amigos, de chorar suas lágrimas e se pudesse gostaria de nunca vê-los sofrer. Ahhh se eu pudesse. Tiraria as dores do mundo para eles. Tiraria as tristezas de todos, porque todomundo tem problema, mas somente os amigos que nos dão força para suportar todo peso. Afinal, Deus não dá o frio maior que o cobertor...fique sabendo disso, dona Érica.
E para finalizar...meus amigos não têm defeitos e os meus inimigos...ahhh, esses se não tiverem, eu invento!

Thaissa Costa
Escrito por Thaissa Costa às 12h39
[] [envie esta mensagem] []


04/09/2007

Revanche

 

Eu disse e quando digo, faço! Tá aí, me colocou na roda em rede mundial no brog da frávia por tantas vezes que perdi a conta. Nada como colocar um acreditem se quiser...Flávia Anastácio de saiaaaaa! Mas amiga, ficou linda! Fiquei sabendo que arrasou corações. Bjinhos

Thaissa Costa


Escrito por Thaissa Costa às 14h28
[] [envie esta mensagem] []


31/08/2007

A DESPEDIDA DO AMOR

Esse texto recebi da Cris. Realmente tem a ver conosco...três mosqueteiras...é isso mesmo. Os trôs mosqueteiros eram quatrooooo. aff! rs

Martha Medeiros

Existem duas dores de amor:

A primeira é quando a relação termina e a gente, seguindo amando, tem que se acostumar com a ausência do outro, com a sensação de perda, de rejeição e com a falta de perspectiva, já que ainda estamos tão embrulhados na dor que não conseguimos ver luz no fim do túnel.

A segunda dor é quando começamos a vislumbrar a luz no fim do túnel.

A mais dilacerante é a dor física da falta de beijos e abraços, a dor de virar desimportante para o ser amado. Mas, quando esta dor passa, começamos um outro ritual de despedida: a dor de abandonar o amor que sentíamos. A dor de esvaziar o coração, de remover a saudade, de ficar livre, sem sentimento especial por aquela pessoa. Dói também...

Na verdade, ficamos apegados ao amor tanto quanto à pessoa que o gerou. Muitas pessoas reclamam por não conseguir se desprender de alguém. É que, sem se darem conta, não querem se desprender. Aquele amor, mesmo não retribuído, tornou-se um souvenir, lembrança de uma época bonita que foi vivida... Passou a ser um bem de valor inestimável, é uma sensação à qual a gente se apega. Faz parte de nós. Queremos, lógicamente, voltar a ser alegres e disponíveis, mas para isso é preciso abrir mão de algo que nos foi caro por muito tempo, que de certa maneira entranhou-se na gente, e que só com muito esforço é possível alforriar.

É uma dor mais amena, quase imperceptível. Talvez, por isso, costuma durar mais do que a "dor-de-cotovelo" propriamente dita. É uma dor que nos confunde. Parece ser aquela mesma dor primeira, mas já é outra. A pessoa que nos deixou já não nos interessa mais, mas interessa o amor que sentíamos por ela, aquele amor que nos justificava como seres humanos, que nos colocava dentro das estatísticas: "Eu amo, logo existo".

Despedir-se de um amor é despedir-se de si mesmo. É o arremate de uma história que terminou, externamente, sem nossa concordância, mas que precisa também sair de dentro da gente...

E só então a gente poderá amar, de novo.


Escrito por Thaissa Costa às 16h02
[] [envie esta mensagem] []


30/08/2007

Kraleo

O nome do post não podia ser diferente. Trabalhando pra kraleo, me divertindo pra kraleo e curtindo a vida pra kraleo. hahaha

Thaissa Costa


Escrito por Thaissa Costa às 17h02
[] [envie esta mensagem] []


17/08/2007

Incertezas

Ando sentindo mais frio que o normal. Deve ser porque não sinto mais sua presença em minha vida, nem o calor de seus beijos. Eles já estão fugindo da memória. Sobram apenas suspiros e poucas lembranças.

As imagens aparecem em minha mente como em uma foto antiga, quase sem cor. Seu rosto; preciso olhar em fotografias para lembrar-me de como é. Os detalhes me fogem. Isso é o que o tempo faz. É o que a distância faz.

Por que deixou isso acontecer conosco? Por quê? Sinto-me triste e sem carinho. Olho no espelho e não me vejo. Percebo uma nuvem escura sobre mim, vejo em minha pele um tom pálido, em meu rosto um ar gélido. Percebo-me estranha, sem vida, sem vontade de sorrir. Por isso me forço a sair da cama todas as manhãs. Novas conquistas devem ser feitas. Um novo coração me espera, mas não sei se meu coração está preparado para um novo amor.

Será que o que tivemos foi amor? Não sei, mas esse frio e esse vazio que sinto condena que foi algo grandioso, delicioso, mas somente para mim. E nessa hora me sinto feia. Acho-me incapaz de fazer alguém se apaixonar por mim, mas ainda me sobra a certeza de que tenho potencial para fazer alguém feliz.

Quando digo alguém, quero dizer você. Quero poder gritar seu nome, sentir suas dores, roubar seus beijos, sentir seu corpo, e voltar a não sentir frio. Porém, isso independe de mim. Minha boca precisa da sua para beijar, meu corpo precisa do seu calor para esquentar. Minha nuca precisa de seus dedos envolvendo-a, meus olhos precisam do seu olhar pequeno e confuso para brilhar.

Um dia vou deixar de precisar. Acredito que nem vá demorar, mas até lá, eu preciso e quero precisar a vida toda. Não precisa ser tão complicado. Não precisa ser tão passageiro. Não precisa ser tão frio, ser tão fingido. Não estamos brincando de viver, estamos vivendo e a vida é feita de bons momentos. Os que tivemos foram perfeitos. Vai dizer que não gostou dos finais de semana de carícias, dos meus beijos e chamegos? Da minha malícia; da minha vontade insana e constante de você? Da forma como nunca te deixava dormir e como tirava seu sono? Da forma como te tocava, como te permitia me tocar? Bem, eu sinto. Sinto saudade até do seu sorriso, da forma como ficávamos abraçados depois de tanto amar.

Uma realidade que encontro dificuldades em me desligar. Fico me questionando por que não está aqui? Por que não vive aqui? Por que está me permitindo ir embora assim da sua vida, sem nem ao menos ter nos dado a chance de tentar, de se apaixonar e quem sabe, me amar. O que tanto teme? A quem dedica seu tempo, seu coração, se não a mim? Dúvidas que me deixam na incerteza de dias menos nublados. Eu quero você junto a mim, mas não a qualquer custo. Não sob o preço dos meus olhos tristes, dos meus dias frios, da infelicidade constante, do medo desgastante de não fazer parte de você. Quero você para ser feliz, para te fazer feliz.

 


Escrito por Thaissa Costa às 17h51
[] [envie esta mensagem] []



[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]
 
 
 
       
   



BRASIL, Sudeste, Mulher, de 20 a 25 anos







Histórico

OUTROS SITES
    UOL - O melhor conteúdo
  Conversa Desafinada
  Museu dos Anos 80
  Sorrisos Plásticos
  Brog da Frávia
  O diário de todos os dias


VOTAÇÃO
    Dê uma nota para meu blog